terça-feira, novembro 28, 2006

Litvinenko assassinado? Foi Putin, acusa resoluto José Manuel Fernandes

José Manuel Fernandes – Jornal Público, 28 de Novembro de 2006

José Manuel Fernandes, naturalmente preocupado com a excessiva aproximação da União Europeia a Moscovo, frisa que "é preciso, de uma maneira ou de outra, deixar muito claro a Putin os limites do seu poder".

E discorre, sem ilusões, sobre o assassínio de Litvinenko:

«Curiosamente, o Presidente ucraniano Viktor Iushcenko venceu nessa altura as eleições e o braço-de-ferro com Putin com a cara desfigurada por uma estranha "doença" que veio a saber-se ser o resultado de envenenamento por tálio. Foi esta a primeira suspeita dos médicos britânicos quando receberam o ex-espião do KGB Alexander Litvinenko num hospital de Londres para assistirem à sua lenta mas inexorável agonia. Desta vez, contudo, o método de envenenamento foi aparentemente mais sofisticado: polónio - 210, segundo os peritos apenas acessível a instituições muito poderosas e de vastíssimos recursos. Ninguém pode apontar o dedo directamente ao Kremlin. Mas vale a pena ler o relato do colunista do The Observer, Henry Porter, da última vez que ouviu o ex-espião russo falar em Londres, no Frontline Club, perante muitos jornalistas. "Anna veio ter comigo para perguntar-me coisas sobre o FSB (Serviço Federal de Segurança). Depois do seu livro A Rússia de Putin ter sido publicado, recebeu várias ameaças directamente do Kremlin. Perguntou-me: eles podem matar-me? E eu respondi-lhe com toda a franqueza: podem. E aconselhei-a a sair do país, pelo menos durante algum tempo. Putin fez-lhe chegar ameaças através de um dos seus amigos (...). Estou absolutamente convencido de que só uma pessoa na Rússia podia mandar matar Anna, com toda a sua fama e o seu estatuto: Putin."»

«São simples alegações. Outras haverá igualmente procedentes. Mas, como diz Porter, a verdade é simples: dois dos mais veementes críticos de Putin foram assassinados no último mês. E isto diz muitíssimo sobre o que é a Rússia hoje


Comentário:

A responsabilidade pelo assassinato de Litvinenko, que contribuiu, a par do veto polaco, para o fracasso da cimeira União Europeia - Rússia em Helsínquia, parece não deixar dúvidas a ninguém:

Pesquisa do Google Notícias (26/11/2006): Litvinenko

O POVO Online - 16 horas atrás
Mario Scaramella, um dos contatos italianos de Alexander Litvinenko e uma das últimas pessoas a encontrá-lo antes de sua morte, confirmou que o Kremlin ...

Último Segundo - 24 Nov 2006
Seguem os principais trechos da carta atribuída ao ex-agente russo Alexandre Litvinenko, falecido nesta quinta-feira e que acusa o presidente russo Vladimir ...

Último Segundo - 24 Nov 2006
O ex-espião russo Alexander Litvinenko, crítico do presidente Vladimir Putin, qualificou de "brutal" e "impiedoso" o responsável por sua morte, em ...

Euronews - 25 Nov 2006
Os investigadores encontraram traços de radioactividade no hotel onde Litvinenko tomou chá com dois russos; no bar onde comeu sushi com um italiano e no seu ...

Euronews - 21 horas atrás
Londres investiga morte de Litvinenko e pede a Putin para ...

Último Segundo - 24 Nov 2006
O polônio, uma substância com a qual teriam envenenado em Londres o ex-espião russo Alexander Litvinenko, é um material altamente radioativo, utilizado (nos veículos espaciais, portanto pertencente a um país com programas espaciais) ...

15 comentários:

Durão Barrosão disse...

Os artigos de opinião de José Manuel Fernandes no Público sobre matérias internacionais, não merecem qualquer credibilidade. Se ele diz branco, é porque é preto.

Sofocleto disse...

Pacheco Pereira no Abrupto afina pelo mesmo diapasão:

Litvinenko sabia umas coisas, nunca se percebe até que ponto verdadeiras ou adaptadas pelos serviços ocidentais e pela necessidade de sobreviver no caro mundo do capitalismo, mas bastante incómodas para o seu ex-colega Putin. Se a Rússia fosse uma democracia, uma questão como a chechena seria tão importante para a política interna como o Iraque para os americanos. Mas não é, porque a Rússia não é uma democracia, apesar da benevolência da UE. E Litvinenko, que estava nos serviços secretos quando da ascensão de Putin, sabe de sobra como é que ele chegou ao poder. Envenena-se pois, no seguimento de uma boa tradição autocrática.

NOTA: Depois de escrito este texto Litvinenko morreu, Putin explicou que isto de assassinatos políticos é o que de mais comum há na Europa, e parece que o veneno usado é suficientemente raro e sofisticado para não ser acessível aos comuns mortais...

augustoM disse...

Putin o Bórgia do século XXI?
Um abraço. Augusto

Carlos Paiva disse...

Porque é que Litvinenko foi assassinado? No fim de contas ele era um grande crítico de Putin. Acusou abertamente o FSB (KGB) por ter feito explodir os apartamentos em Moscovo em 1999. Declarou que esses atentados tinham sido o incêndio do Reichstag para a segunda guerra de Putin contra os Tchetchenos. Não tem muita lógica acreditar que Litvinenko tivesse muitos inimigos por essas opiniões, excepto os seus antigos camaradas do FSB e o presidente Putin. É por isso que muitos jornalistas apontam o dedo a Putin. O homicídio confirma o que muita gente já pensa acerca da Rússia.

Quintanilha disse...

Não tem a ver com o post, mas venho aqui manifestar a minha preocupação:

Como é que podemos aspirar a viver num país culturalmente evoluído, quando quando um tipo como Pedro Santana Lopes escreve um livro e o mesmo vende 15 mil exemplares em duas semanas e já esgotou três edições?

Estou deveras preocupado!

Adriana M. disse...

O assassínio é assim uma coisa tão extraordinária para Putin e para o seu governo? A Rússia é o far-West do século XXI. Há banqueiros e homens de negócios a serem mortos quase todas as semanas. Quem é que está por trás destas mortes? Pode ter sido qualquer uma das várias mafias. Mas parece-me que existe uma grande diferença entre matar com uma bala ou matar com isótopos radioactivos. Mesmo que o FSB e Putin não sejam directamente responsáveis, de certeza que devem ter fornecido os meios.

Charles disse...

os palpites de JM Fernandes, como das suas fontes, são certezas evidentes, comprovadas na mesma vida dependente do criador, seja ele jeovah, cristo, allah ou deus dos pardais, que, por intervenção directa ou falta de assistência, todos dias matam e deixam morrer as suas criaturas, dos homens do Iraque, do Afganistão, Palestina e Burundi, em guerra, como de Portugal e da França, de muitas maneiras, até aos pobres animais

e assim são os tentáculos da Rússia, do Putin, subreptícios e estendidos até aonde nem chega a imaginação

que nem Bush nem Olmert e suas administrações de guerra, matando que sa fartam aos milhares nos países soberanos aonde vão, logram entender eficácia tamanha

apesar de JM Fernandes e suas fontes a demonstrarem tão bem

olavo disse...

e eu digo que está bem quem não sabe nada, ao contrário das crianças e velhos do Iraque e da Palestina que sabem que devem morrer quase sempre de certeza antes da hora que lhes competia por causa do Bush e do Olmert, de Israel e dos EUA, como de sofistas manhosos tais um JPP e um JMF, que também sabem muito, mas não arriscam o partido dos mais fracos, que em princípio é que vão perder

isto, exceptuada a Rússia, a França, a China ou a Alemanha, qualquer que contrarie a única sede natural do poder

oracle disse...

e contudo, Sofocleto, pesquisando no Google também se acha razões óbvias de como a Rússia e Putin não devem estar por detrás de tal acontecimento, 'pour cause' e por mais:

http://port.pravda.ru/topic/putinpolitlit-510/

Rouxinol disse...

"Mas parece-me que existe uma grande diferença entre matar com uma bala ou matar com isótopos radioactivos."
A diferença é que a bala aumenta o leque de suspeitos, é mais acessível, mais fácil e impede que o visado esteja 23 dias no hospital a acusar diáriamente o autor do crime.
Mas há mais para além da bala, está-se a esquecer dos "acidentes", por exemplo.

"Mesmo que o FSB e Putin não sejam directamente responsáveis, de certeza que devem ter fornecido os meios."
Tantas certezas...sabe mais que os outros?

Rouxinol disse...

Se quiserem polonium, podem adquirir neste site apartir de 69 USD, já com os portes incluídos.

Vejam também a notícia aqui

Biranta disse...

Resumindo: Putin a provar do seu próprio veneno.

Putin, tal como Bush pai, é um ex-agente secreto. Parece-me um completo absurdo entregar a presidência dum qualquer país a um ex agente secreto. Essa gente é treinada para ser pérfida e infame e desenvolvem muito mais "fidelidades" entre si do que para com a sociedade e a humanidade. Os serviços secretos deviam desaparecer, TODOS, porque são, actualmente, o principal foco de criminalidade, de perfídia e de infâmia, sem outros motivos que não seja perpetuar a infâmia e a destruição.

Posto isto, não estranharia que Putin tivesse a tentação de encomendar alguns atentados para se "justificar" perante o seu povo, tal como o faz a CIA, a toda a hora.
Também não estranharia que cometesse alguns assassinatos selectivos... tal como faz a CIA e outros facínoras, a toda a hora e por todo o Mundo, só que com muito maior frequência e devastação.

Mas Putin, mesmo assim, não passa (passaria?) dum reles aprendiz, porque ainda não conseguiu fazer nada parecido com o 11 de Setembro em New York, o 11 de Março em Madrid, o 7 de Julho em Londres... A guerra e destruição do Iraque; a guerra e destruição do Afeganistão (com o consequente aumento brutal de produção de heroína); a guerra e extermínio na Palestina e no Líbano; o genocídio em vários países de África, nomeadamente em Darfur, no Sudão; as provocações constantes ao Irão, à China, à Índia, etc... a manutenção, com a complacência internacional, de campos de concentração como Guantanamo, o uso indiscriminado de torturas e detenções de gente inocente, etc., etc., etc. Espero que todos tenham noção de quão incompletya esta lista está...
E eis Putin transformado num insignificante mosquito da fruta!

Putin assassinou meia dúzia de pessoas com visibilidade, incluindo uma jornalista? Será que foi mesmo Putin, ou "alguém" tem muito mais interesse nesses assassinatos e em atribuí-los a Putin?
E a "indignação" desses escribas abjectos, é sincera?

Assim de repente, estou a lembrar-me de mais de duas dezenas de assassinatos selectivos, de gente com visibilidade, cometidos pela CIA, incluindo alguns chefes de governo como Olof Palme, Aldo Moro, Sá Carneiro, SAlvador Alhende, etc.. Isto para além de mais de uma centena de jornalistas, transformados em "alvos legítimos" pelas forças invasoras no Iraque.
E o compo de concentração de Guantanamo?
Onde está a idoneidade dessa gente e a sua indignação com todas estas atrocidades cometidas pelos governantes americanos? Nem lhes restaria tempo para se preocuparem com Putin.

Isto para demonstrar a hipocrisia de JMF, de JPP (o Idiota Útil Estúpido) e de tantos outros, que não passam de reles provocadores, conspiradores nazis (ou neo-cons, que é a mesma coisa) em acção de propaganda a mando dos seus donos, os facínoras mafiosos que controlam a administração americana.

Mas há outra conclusão que podemos tirar desta simples avaliação dos factos, da realidade: os principais suspeitos dos assassinatos atribuídos a Putin são oa facínoras que controlam a administração americana e que controlam, também as canetas de JMFs e JPPs. São esses que têm os motivos, o perfil, o hábito e a impunidade necessária para tais façanhas, que servem muito bem os seus interesses de dominação global, para cujos é fundamental desacreditar quem esteja no poder na Rússia, na China, etc.. É mesmo do estilo: "branco é, galinha o pôs". Talvez se lixem!

Putin é, afinal, o menor dos suspeitos. Pensando bem, nem suspeito chega a ser.

inominável disse...

Um bom link, este apontado por Oracle... Vale a pena ler e pensar...

E vem ao encontro do que diz Biranta: "Putin assassinou meia dúzia de pessoas com visibilidade, incluindo uma jornalista? Será que foi mesmo Putin, ou "alguém" tem muito mais interesse nesses assassinatos e em atribuí-los a Putin?
E a "indignação" desses escribas abjectos, é sincera?".

Putin é só o alvo mais imediato, o que ocorre à primeira vista. Mas é preciso abrir os olhos, limpar os ciscos que nos querem lançar e começar a ver melhor...

Observador disse...

Putin é um santo.
Mau é GW Bush.

Concluindo : Chega-se - de novo - à conclusão que já se tinha. Bush é o Papão.

Incrivel.
Um fulano envenena opositores, rebenta com edificios inteiros..,arrasa Grozny..., mas é um aprendiz.
Se é que é culpado. !!!!

O culpado é o do costume : Bush Rumsfeld...; ( Falta o Sharon. Esse já cá não está..).

Entretanto visitem o meu jornal.

Biranta disse...

Tadinho tadinho!

Depois duma prosa patética e pateta como essa, vou já a correr, visitar o teu jornal... Basta o que basta.

Putin não será um santo, mas continua a ser um reles aprendiz. Bush (e seus muchachos) é um facínora louco, nazi (ou neo-con que é a mesma coisa).
E quanto aos assassinatos deste e da jornalista, os principais suspeitos são os da CIA...
Vá-se lá saber porquê... Feitios!

Nem a humanidade consegue imaginar o que ganharíamos em paz, sossego, dignidade e progresso se se acabasse com as CIAs e os domínios dos nazis (e dos sionistas também), dos neo-cons, etc.

A humanidade até passaria a ser humana.