sexta-feira, novembro 17, 2006

Pacheco Pereira, o indomável marinheiro da mentira, navega corajosamente pelas águas turvas da propaganda

José Pacheco Pereira – Jornal Público 16/11/2006

As minhas razões pró-americanas


«Para lá da ganga espessíssima de hostilidade em que está envolvido tudo o que diga respeito a Bush, o problema que subsiste desde o 11 de Setembro é o mesmo: estamos ou não em guerra, qual a natureza dessa guerra, como é que ela se pode ganhar. (...)»

«Voltemos à origem, aos dias seguintes ao 11 de Setembro. Os americanos, povo, partidos republicano e democrata, e Administração Bush consideram-se em guerra. Guerra contra quem? Contra o fenómeno do radicalismo muçulmano no conjunto de todas as suas ramificações, não apenas o fundamentalismo da Al-Qaeda, mas todo o arco de extremismo antiamericano (e de passagem anti-israelita) que geravam um pano de fundo de instabilidade intratável no Médio Oriente. Esta percepção de que seria necessário defrontar todo o radicalismo islâmico e não apenas um grupo fundamentalista foi uma consequência do impacto do 11 de Setembro. (...)»

«Para mim, o cerne racional que conduziu à invasão do Iraque encontra-se na conjugação desta série de decisões: considerar como um acto de guerra os eventos do 11 de Setembro; resolver ir mais longe do que uma resposta antiterrorismo, acrescentando a disposição de intervir com forças militares, incluindo a invasão de países estrangeiros, de modo a actuar-se de forma suficientemente drástica para alterar a relação de forças no Médio Oriente a favor dos moderados. (...)»

«Seja o que for o que aconteça, as raízes do problema do radicalismo islâmico e os seus efeitos não mudam com o "diálogo", mudam só pela força ou pelo receio da força. Os atentados fundamentalistas não vão parar e podem, com o novo armamento biológico disponível, assumir um carácter de perturbação social sem paralelo no passado. (...)»

«(...) Churchill [Pacheco traça um paralelo com Bush] foi duramente atacado, mas, por muitos erros que cometesse, aquele era o lado, porque numa guerra há lados, mesmo quando Deus não parece estar em nenhum lado. Fica esta prevenção para que se perceba que este é um barco de que não tenho nenhuma intenção de sair, em particular quando ele atravessa os seus mais perigosos estreitos.»



Comentário:

Pacheco, num rasgo de bravura, afirma não ter intenções de sair do barco onde decidiu destemidamente embarcar. No entanto, quando as vagas alterosas da verdade o enviarem, como cúmplice pago de uma administração genocida, para o banco dos réus de um tribunal internacional, Pacheco vai ter de responder a várias questões:

Porque caiu o Edifício nº 7 do World Trade Center se não sofreu o embate de nenhum avião?

Porque é que a Força aéra não reagiu e não interceptou os aviões sequestrados?

O que é que realmente aconteceu a 11 e Setembro de 2001?

E finalmente, quanto é que lhe foi pago para mentir despudoramente nos jornais e na televisão sobre o atentado do 11 de Setembro, sobre a «guerra ao terrorismo» e sobre o «cerne racional» que conduziu à invasão do Iraque e à morte de muitas centenas de milhar de pessoas.

20 comentários:

Carlos Paiva disse...

No Máquina Zero

Ao pretender que a Al-Qaeda não existe, per si, mas é uma simples criação dos serviços secretos americanos e israelitas, os conspiracionistas transferem o medo de um inimigo implacável e, aparentemente indestrutível, para um adversário caseiro e, mais importante que tudo, facilmente removível através de simples eleições. Esta tese da inexistência do terrorismo de inspiração islâmica é o máximo denominador comum dos conspiracionistas actuais, determinados em provar que Bush deitou abaixo as Torres Gémeas para culpar os muçulmanos.

Adriana M. disse...

Claro que EUA também erram e erraram. Eu, por exemplo, sou contra o anti-americanismo e não acredito nas teorias da conspiração, mas não apoio Bush. Para Pacheco Pereira, parece que quem não está com a actual administração está do lado dos terroristas. Ora, isso não é verdade, os atentados foram obra de extremistas em nome de uma interpretação fanática do Islão e portanto há que investir em segurança (a liberdade não existe sem segurança).

O-Lidador disse...

Porque caiu o Edifício nº 7 do World Trade Center se não sofreu o embate de nenhum avião?

O NIST publicou um relatório exaustivo do que aconteceu com as torres gémeas. E provou, para lá de toda a dúvida, que os edifícios se desmoronaram em virtude dos efeitos conjugados do impacto das aeronaves e dos incêndios.

O NIST é o LNEC lá do sítio e em matéria de engenharia de estruturas, érazoável que se acredite mais num relatório do LNEC do que numa homilia do Dr Louçã.
POr isso, o Sofocleto devia ler os relatórios do NIST sobre a matéria e abster-se de repetir os mesmos disparates vezes sem fim, à Goebbels.

Sobre o WTC-7, o que NIST diz é:

“ With the release and dissemination of the report on the WTC towers in October 2005, the investigation of the WTC 7 collapse resumed. Considerable progress has been made since that time, including the review of nearly 80 boxes of new documents related to WTC 7, the development of detailed technical approaches for modeling and analyzing various collapse hypotheses, and the selection of a contractor to assist NIST staff in carrying out the analyses. It is anticipated that a draft report will be released by early 2007.

The current NIST working collapse hypothesis for WTC 7 is described in the June 2004 Progress Report on the Federal Building and Fire Safety Investigation of the World Trade Center Disaster (Volume 1, page 17, as well as Appendix L), as follows:

An initial local failure occurred at the lower floors (below floor 13) of the building due to fire and/or debris-induced structural damage of a critical column (the initiating event) which supported a large-span floor bay with an area of about 2,000 square feet;
Vertical progression of the initial local failure occurred up to the east penthouse, and as the large floor bays became unable to redistribute the loads, it brought down the interior structure below the east penthouse; and
Triggered by damage due to the vertical failure, horizontal progression of the failure across the lower floors (in the region of floors 5 and 7 that were much thicker and more heavily reinforced than the rest of the floors) resulted in a disproportionate collapse of the entire structure.
This hypothesis may be supported or modified, or new hypotheses may be developed, through the course of the continuing investigation. NIST also is considering whether hypothetical blast events could have played a role in initiating the collapse. While NIST has found no evidence of a blast or controlled demolition event, NIST would like to determine the magnitude of hypothetical blast scenarios that could have led to the structural failure of one or more critical elements”


Aguarde portanto até que o Relatório seja publicado. Há gente consideravelmente capaz a analisar o caso com conhecimentos e ferramentas adequadas.

De qq modo, sobre a hipótese do uso de explosivo já houve (verdadeiros) especialistas em demolições que deram opinião e ela desmente completamente a tese da explosão.

inominável disse...

estranho este mundo dúbio... nuns relatórios confirma-se, noutros relatórios desmente-se... neste capítulo, a história está a (des)fazer-se...

quanto ao Bush, adopto e adapto as palavras de J. Régio:

"Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!"

Sofocleto disse...

«O-Lidador said... - Aguarde portanto até que o Relatório seja publicado. Há gente consideravelmente capaz a analisar o caso com conhecimentos e ferramentas adequadas.»

Vou aguardar. Afinal ainda só passaram cinco anos desde os atentados. Estou certo que a «gente consideravelmente capaz» não me irá desiludir.

brito disse...

Caro Sofocleto.

Mas onde é que mora esse senhor Pacheco sem mêdo? Em Lisboa ou em Bagdad? Porque se esta muito simplesmente instalado em Lisboa deve-se sentir profundamente frustrado de se encontrar tao longe da frente anti-terroristas & Cia. e eu aconselharia a direcçao do Jornal Publico a o enviar sem mais tardar para Bagdad como correspondente de guerra. Evidentemente, nao para a "zona verde", confortavelmente "embedded" nos braços duns quantos GI's a servir de guarda-costas, mas para, chamemos-lhe a "zona vermelha" do sangue dos 100 000 a 150 000 mortos, segundo o ministério da saude iraquiano, ou os 650 000 mortos segundo a revista médica britânica "The lancet".

Ah, estes herois por procuraçao...

Um abraço

Rouxinol disse...

NIST: "An initial local failure occurred at the lower floors"

Isto é completamente falso!! A primeira estrutura a ceder foram as penthouses no topo do edifício, e isto é visível nas imagens.

http://killtown.911review.org/video/wtc7/wtc7-penthouse-kink.gif

O NIST é uma completa anti-ciência. Eles primeiro partem de uma conclusão sobre a causalidade da queda do edifício, e depois, relatório pós relatório, vão tentando justificar o injustificável.
É tão mas tão óbvio que aquilo foi uma demolição controlada, que se torna anedótico ver gente supostamente inteligente a tentar convencer-nos do contrário.

Carlos Paiva disse...

Existem mais de mil e cem milhões de muçulmanos no mundo. Os elementos mais radicais constituem cerca de dez a quinze por cento de todo o Islão. 15% de mil e cem milhões é um grande grupo de pessoas desejosos e ansiosos de destruir a civilização ocidental e em particular a sociedade americana. Qualquer coisa como 170 milhões de muçulmanos completamente programados, homicidas e fanáticos robotizados.

Rouxinol disse...

Carlos Paiva:

robotizados ao ponto de conseguirem montar um sistema de demolição controlada nas barbas da CIA ??

Carlos Paiva disse...

Que sistema?

Rouxinol disse...

aquele que fez cair o wtc7

Sofocleto disse...

No Abrupto 17.11.06, Pacheco responde a um comentador:

Luís Santos - O segundo ponto refere-se à questão das armas de destruição maciça (ADM). Segundo me lembro (cito de memória), JPP escreveu um artigo de cartesiano rigor onde equacionava o problema, em várias hipóteses:

> 1.O Iraque tem ADM e os americanos, ao invadi-lo, vão encontrá-las e provar as suas razões.
> 2.O Iraque tem ADM, mas não vai ser possível encontrá-las (porque as destruiu, ou porque conseguem escamoteá-las).
> 3.O Iraque não tem ADM, mas havia fundados motivos para a comunidade internacional crer que as tinha.
> 4.O Iraque não tem ADM e os EUA (e outros) mentiram à comunidade interncional.

Acho que "deve" aos seus leitores explicitar qual é, hoje, a sua opinião, entre as 4 hipóteses que colocava.


Pacheco: Em textos anteriores já me pronunciei sobre estas questões com bastante desenvolvimento para esclarecer que a minha resposta à pergunta sobre as ADM está entre 2 e 3. Chirac, Putin e os responsáveis da ONU, nenhum deles suspeito de simpatia pela política americana, também pensavam que existiam ADM. Não há provas quanto ao ponto 4, a mentira deliberada, por muito que isso contrarie a fúria anti-Bush e anti-Blair.


Há provas, há, Pacheco!

xatoo disse...

acho que já nem vale a pena responder ao Pacheco
a coisa explica-se por si própria no titulo do post aqui de baixo:
"a Industria do Terrorismo"
os americanos em geral referem-se ao Bin
como "Ossama Been Forgotten"

contradicoes disse...

Oh meu caro amigo Sofocleto, o Pacheco Pereira na tem categoria para ser julgado por um Tribunal Internacional, até porque nem sequer as suas convicções são internacionalmente conhecidas, não passando dum mero figurante neste filme norte-americano, em que bate as palmas cada vez que os cowboys abatem os índios.

Sofocleto disse...

«o Pacheco Pereira não tem categoria para ser julgado por um Tribunal Internacional»

Talvez Pacheco mereça apenas um tribunal regional, ou mesmo local, dada a insignificância do indivíduo em causa. Mas ao menos que lhe apliquem a pena máxima: enforcamento!

ab disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

metam um coisa na cabeça de uma vez por todas, o 11 de setembro foi um "inside job"...cada vez mais americanos estão convencidos disso, há muita coisa que está a acontecer relacionada com isso que não se vê em telejornais, jornais ou radios, porque tanto medo que as pessoas descubram a verdade ???

a verdade é que para que uma pessoa minimamente inteligente acreditar na versao oficial, tem que engolir inumeras coincidencias estranhas, um sem fim delas....investiguem e vejam com os vosso proprios olhos, em vez de fazerem figura de parvos aqui a dizer barbaridades...

O-Lidador disse...

caro anonimo, fala com tal cagança que quase de certeza que esteve no local, analisou as provas, fez simulações, cálculos, testes de resistência, falou com engenheiros, etc,etc.

Sim porque nem quero crer que tenha tantas certezas que até se permite botar faladura sobre relatórios técnicos tão complexos, apenas com "investigações" feitas de rabo alapado na cadeira, a "consultar" os sites da teoria da conspiração.

Ah, se calhar baseia-se nos "estudos" do autor daquele hilariante comentário ( Loose Change), produzido por um teenager ansioso pelas luzes da fama e a quem sobra em hormonas revolucionárias, o que falta em caco e bom senso.

A fé é uma coisa maravilhosa, mas temos de ter cuidado com os zelotas.

Anónimo disse...

a tua ignorancia dá-me vontade de rir...pra mim sites de teorias de cospiração são aqueles que dizem que 19 muçulmanos vindos num se sabe de onde (sem sequer fazer parte da lista de passageiros) controlaram os passageiros de aviões comerciais com X-ATOS, e depois pegam neles e atingiram com sucesso 90% dos seus alvos nos EUA...

sabiam que no passado 11 de setembro, ouve uma manifestação de milhares de pessoas no ground zero, e também em washington (???) que tinham T-SHIRTS e cartazes a dizer 911 INSIDE JOB, STOP THE 911 COVER UP, etc :

http://www.youtube.com/watch?v=9SW1SOkTDeI

http://www.youtube.com/watch?v=i-UQh9Yo2eE

agora eu pergunto: viram, ouviram ou leram alguma noticia sobre isto???

sabiam que um grupo de centenas de personalidades que, nos últimos quatro anos e meio, têm vindo a público afirmar que essa versão oficial não só é implausível como impossível, chegando a violar as próprias Leis da Física.
Este grupo inclui Andreas Von Bülow, antigo ministro da Defesa e da Tecnologia da Alemanha e ex-director dos Serviços Secretos Alemães;
Michael Meacher, ex-ministro do Ambiente do governo britânico de Tony Blair;
Ray McGovern, antigo conselheiro presidencial e ex-analista da CIA;
Paul Craig Roberts, Secretário do Tesouro durante o mandato do ex-presidente norte-americano Ronald Reagan e pai da sua política económica;
Robert Bowman, antigo director do Programa de Defesa Espacial Star Wars e ex-coronel da Força Aérea dos EUA;
Steven Jones, Professor de Física da Universidade de Brigham;
David Shayler, ex-oficial do MI5, os serviços secretos britânicos;
Morgan Reynolds, Professor catedrático da Universidade A&M do Texas que integrou o governo do actual presidente norte-americano George W. Bush durante o seu primeiro mandato,
e muitos, muitos outros.

Alguns destes nomes fazem parte de um movimento criado em Janeiro deste ano chamado Scholars for 9/11 Truth - http://www.st911.org/ (Académicos pela Verdade sobre o 11 de Setembro), que conta com cerca de 50 membros, entre os quais professores universitários, estudantes, cientistas e investigadores de diversas áreas.
Todas estas individualidades apresentam informações que têm sido constantemente censuradas pelos órgãos de comunicação social, e sugerem que o 11 de Setembro tenha sido um golpe interno perpetrado pela elite que controla o poder político e militar nos EUA...

xatoo disse...

"robotizados ao ponto de conseguirem montar um sistema de demolição controlada nas barbas da CIA ??"
não!
com a colaboração e o empenho da própria CIA!! que,
como é sabido foi gerida desde a década de 90 pelo Bush Pai. Este James Baker III que aparece agora com a missão para o Iraque foi outro director da CIA