quinta-feira, novembro 23, 2006

Boaventura de Sousa Santos - o intenso debate em curso sobre o 11 de Setembro

Boaventura de Sousa Santos é doutor em sociologia do direito pela Universidade de Yale e professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.

Os Governos Mentem

Publicado na Revista Visão em 12 de Outubro de 2006


(...) Acresce que as possibilidades de manipulação dos media nunca foram tão grandes (a politização dos media) como contrapartida do imenso mercado mediático em que a política se transformou (a mediatização da política). Nestas circunstâncias tornou-se mais fácil e mais necessário mentir sempre que a manutenção do poder está em causa. E, pelas mesmas razões, tornou-se cada vez mais difícil encontrar jornalistas e órgãos de comunicação social dispostos a fazer investigação séria que contrarie com fundamento as versões oficiais.

Um dos países em que este problema tem hoje mais acuidade são os EUA. Neste país, as versões oficiais têm tradicionalmente um enorme peso e tendem a ser reproduzidas como verdadeiras sem mais averiguações pelos grandes media. Os jornalistas que as questionam têm sido marginalizados, como aconteceu a I. F. Stone. A verdade é que ao longo dos últimos cem anos foram muitos os casos em que o governo mentiu, como se veio mais tarde a verificar, muitas vezes a partir de... fontes oficiais. As mentiras envolveram quase sempre decisões importantes que justificaram intervenções militares em países estrangeiros.
Assim, continua hoje por esclarecer a causa da explosão no navio de guerra Maine em 1898 no porto de Havana que mobilizou o país para a guerra contra a Espanha com o objectivo de libertar Cuba (saiu a Espanha entrou a United Fruit Company). Sabe-se hoje que o segundo ataque norte-vietnamita no Golfo de Tokin em 1964 foi, de facto, forjado pelos serviços secretos com o fim de justificar a escalada da guerra no Vietname; que o ataque à fábrica de produtos farmacêuticos do Sudão em 1998 foi ordenado por Clinton sabendo que ela não produzia armas químicas; que o FBI nunca teve provas que ligassem a Al Quaeda a Saddam Hussein; que o governo teve conhecimento detalhado do ataque em preparação às Torres Gémeas e nada fez para o impedir; que à data da invasão do Iraque o governo sabia que não havia armas de destruição maciça; que a luta contra o terrorismo, longe de estar a ter êxito, está a provocar mais terrorismo, estando hoje o país menos seguro que em 2001.

A acumulação recente de mentiras e a revolução nas tecnologias da informação e da comunicação explica o que, à primeira vista, seria impensável: o intenso debate em curso sobre a verdadeira causa do ataque às Torres Gémeas (estaria o governo envolvido?), sobre o colapso das Torres (resultado do impacto ou de explosivos pré-posicionados nos andares inferiores?) sobre o ataque ao Pentágono (avião ou míssil?). O debate envolve cientistas credíveis e cidadãos do "movimento para a verdade do 11 de Setembro", e ocorre quase totalmente fora dos grandes media e sem a participacao de jornalistas. Será que a internet, os vídeos e os telemóveis tornam a mentira dos governos mais difícil?


Comentário:

«tornou-se cada vez mais difícil encontrar jornalistas e órgãos de comunicação social dispostos a fazer investigação séria que contrarie com fundamento as versões oficiais»

É difícil encontrar uma descrição tão fidedigna de homens como Henrique Monteiro, Pacheco Pereira, Vasco Graça Moura, José António Saraiva, etc.

12 comentários:

Adriana M. disse...

A história mostra que quando se começa a dizer mal dos jornalistas é porque se começa a entrar em desespero.

Alentejano sempre disse...

Julguei que a revista Visão fosse só a crónica do Ricardo de Araújo Pereira do Gato Fedorento. Afinal parece que tem mais coisas interessantes para ler.

O-Lidador disse...

BVS é um esquerdóide caviar o que, à partida lhe tira toda a credibilidade quando se pronuncia sobre a Nemésis de todos os esquerdoides: os EUA!

Atirar para os olhos das pessoas o deslumbramento da suas qualificações académicas em áreas que nada têm a ver com aquilo sobre que opina, pretendendo que isso prova a “verdade”,é um “argumento” ridículo..
Sem ir mais longe, a Meditação Transcendental e a seita japonesa de Aum Shinrikyo, contavam com licenciados em Sociologia, Física e Engenharia.
Pol-Pot era professor de Filosofia, bem como o fundador do Sendero Luminoso.
Sartre garantia que o comunismo soviético era o Céu na Terra e Picasso tecia loas à “democracia” norte-coreana.

As opiniões de BVS (e dos esquerdóides, de um modo geral) sobre os EUA, são o fruto da sua necessidade psicológica de demonizar o “Império”. Expendem ideias simplistas e simplórias, fáceis de generalizar com a cooperação desinformada (e muitas vezes com a conivência cínica) de uma certa “intelectualidade cultural” ancorada no esquerdismo politicamente correcto, tão bem descrito por Raymond Aron no “Ópio dos Intelectuais”.

Sobre as teorias da conspiração do 9/11, há milhares de livros, sites e blogues pejados de citações, notas de rodapé, links e jargão pseudo-técnico que pretende dar uma aura de rigor científico aos delírios conspiracionistas .
Na maioria dos casos os artigos estão repletos de claríssimas falácias lógicas. Alguns erros resultam de simples ignorância convencida, mas outros revelam deliberada má-fé e consistente recusa em tomar conhecimento de factos divergentes (dissonância cognitiva).
O conhecimento científico alimenta-se de erros que vai eliminando. Formula hipóteses para poder refutá-las, submetendo-as à experiência. Avança às apalpadelas, pela tentativa e erro.
Não é assim que raciocinam os conspiracionistas como BVS.

A montante têm já uma “íntima convicção”, do que aconteceu, à qual subjaz sempre uma condenação moral do mafarrico de serviço, e só depois vão à procura das pistas que lhes interessam, ignorando todas as outras que apontam noutro sentido.

Os conspiracionistas necessitam de congelar o momento em que o conhecimento não existe e os factos são mínimos, porque só esta deliberada rejeição do conhecimento e dos factos lhes permite manter incólumes as falácias em que assenta o seu “raciocínio”.

A normal descrição dos factos é adjectivada como, “versão do governo”, ou “versão oficial”, embora, além dos relatórios institucionais, ela seja um vasto consenso que aos poucos vai emergindo da concatenação de factos conhecidos, notícias dos meios de comunicação social, investigações de universidades, ordens, organismos especializados, testemunhas de centenas e milhares de pessoas, fotografias, telefonemas, gravações de vídeo, registos de transmissões da polícia, bombeiros, controlos de tráfico aéreo, declarações dos autores, deduções racionais e lógicas, etc.

Tudo isto interessa pouco aos BVS e Sofocletos deste mundo que já fizeram o seu juízo definitivo e inabalável e por isso necessitam de arrumar na categoria “versão do governo”, toda esta polifacetada informação, a maioria da qual não joga com as suas delirantes teses.

Esta catalogação dá muito jeito porque a “versão do governo” é falsa por definição, uma vez que na lógica dos tontinhos, o governo é quem está por detrás dos acontecimentos.
Se não for o governo directamente, é qualquer grupo de “poderosos”, como o Grupo de Bildeberg, a Trilateral, os Templários, os Illuminati, a Maçonaria, a CIA, a Mossad, o lobi judaico, os Aliens, enfim, “eles”.
Para os FTC , há sempre uns “eles” malignos, a manipularem pela calada da noite, os destinos do mundo e isto não precisa de ser provado...prova-se a si mesmo...é dogma.

E as testemunhas, notícias, fotografias, relatórios, filmes, investigações, declarações, etc, são, evidentemente forjados pelo que os seus autores vão constantemente engrossando a lista de figurantes pagos ou coagidos. Não é por acaso que o comentário do Sofocleto, inclui a “certeza” de que qualquer jornalista que não tenha a sua opinião, está a soldo.
Os BVS e Sofocletos não acreditam que alguém pense "verdadeiramente" de forma diferente da deles, pelo que tais opiniões só podem ser o resultado de "pressões” e “pagamentos”
O que prova que existe conspiração.
Claro que se ninguém se opuser à teoria da conspiração, o facto prova também que ela é verdadeira.
Basicamente, tudo prova a teoria da conspiração...e o tontinho encarrega-se de arredondar os "raciocínios" para que assim aconteça, não por cinismo, mas por genuína má-fé.
Este padrão de comportamento é notavelmente parecido com a “conspiração dos OVNIS”.
NO fundo é um problema do domínio da Psicologia, quiçá da Psiquiatria

Sofocleto disse...

«Os BVS e Sofocletos não acreditam que alguém pense "verdadeiramente" de forma diferente da deles, pelo que tais opiniões só podem ser o resultado de "pressões” e “pagamentos”»

Eu referia-me a alguém com dois dedos de testa Lidador.

Carlos Paiva disse...

Para algumas pessoas parece ser mais fácil acreditar numa monstruosa e anónima conspiração interna do que aceitar um simples facto: os americanos não foram suficientemente lestos para evitar a catástrofe.

Anónimo disse...

A minha teoria da conspiração favorita é aquela que diz que o mundo está a ser governado por uma mão cheia de capitalistas ultra-ricos, e que os nossos governos eleitos são meros fantoches. Espero bem que seja verdade. De contrário a minha sobrevivência depende de uma massa acéfala que elege os próprios líderes.

A única forma que tenho de dormir de noite é imaginar uma cabala secreta de senhores competentes que tomam as grandes decisões enquanto os nossos políticos eleitos debatem a queima de bandeiras e a definição de casamento.

Rouxinol disse...

"Na maioria dos casos os artigos estão repletos de claríssimas falácias lógicas"
Tais como?

"O conhecimento científico [...] Formula hipóteses para poder refutá-las"
Ao contrário do que fazem aqueles que só viram um colpaso natural derivado de altas temperaturas, no WTC 1, 2 e 7.

Ó Lidador, se queres discutir isto, faz o favor de mencionar factos que desmintam que o WTC 7 não caiu por demolição controlada, que bateu um 757 no pentágono, que as torres gémeas foram reduzidas a pó devido ao colapso normal da estrutura...
Com esse palavreado todo de "maluquinhos é o que vós sois", não vais a lado nenhum.

Toni disse...

Adriana:
Que história é essa que mostra que quando se começa a dizer mal dos jornalistas é porque se começa a entrar em desespero ?

Anónimo disse...

O próximo doutoramento que Boaventura de Sousa Santos vai tirar nos Estados Unidos será de clausurologia pela Universidade de Guantánamo.

Biranta disse...

Esta caixa de comentários está cada vez mais "impraticável, inabitável".

Adriana!
O que a história mostra, inequivocamente, é que "onde há muito fumo tem de haver algum fogo, ou outra coisa qualquer que o origine"; que é como quem diz: não é possível esconder (a não ser com falácias e mentiras óbvias) indefenidamente, os comportamentos absurdos e ilógicos de alguns. Além disso, quando se trata de absurdos, de paradoxos, deve-se ter em conta a "noção de limite" (de imposição da própria realidade) sob pena de o limite, um dia, cair em cima da cabeça de quem o ignora. É isso que está a acontecer com os jornalistas, há muito tempo e não há falácia nazi que consiga esconder a realidade, ou evitar as suas desastrosas consequências, porque as "leis da vida" são assim mesmo.

Anonymous!
Desiluda-se! Pessoas minimamente informadas e esclarecidas, como BVS, não convêm, em Guantanamo, porque não são "matéria prima" adequada para "fabricar terroristas", como os desgraçados, anónimos, caçados por todo o Mundo e encarcerados sem saberem porquê, sem terem feito mal a ninguém.

Para além do mais vou repetir, até que o dedo me doa e mesmo depois de doer e estar em sangue:

Os atentados terroristas de 11 de Setembro foram uma conspiração monstruosa, executada pela CIA, em parceria e conluio com toda a escumalha de máfias e criminosos, tenmdo cada grupo garantido os meios de obter as suas próprias vantagens. Só por isso foi possível acontecer.

Não houve sequestro ou participação de aviões de passageiros em nenhum dos "acontecimentos" daquele dia. As imagens oretensamente transmitidas em directo são fabricadas, como é fácil perceber observando-as com cuidado.

Rouxinol!
Desiluda-se! "Não há factos que desmintam...", nem a essa conversa do Lidador interessa factos ou evidência. Essa conversa só vem aqui (em excesso, a meu ver) para baralhar os incautos e como extensão da campanha de mentiras oficiais e dos OCS.

Só me surpreende é que lhes seja dado aqui tanto espaço, para além do espaço que eles usurpam e monopolizam nos OCS...

Sofocleto disse...

«Só me surpreende é que lhes seja dado aqui tanto espaço»

Biranta, não tenho por hábito apagar nenhum comentário a não ser que seja exclusivamente ofensivo. Se não concordamos com a opinião de alguns, esta é uma boa forma de lhes explicar as nossas posições e de fazer-lhes chegar alguns dados que obviamente não dispõem.

O-Lidador disse...

Caro Rouxinol.

Vamos começar a nossa lição sobre falácias. Mas primeiro um teste à sua inteligência lógica, para saber que tipo de linguagem devo utilizar:

Há aqui 3 afirmações falsas. Identifique-as:
1) 2 + 2 =4
2) 3 x 6 =17
3) 8:4=2
4) 13-6=5
5) 5+4=9