segunda-feira, novembro 06, 2006

Vitorino, o Senhor Terrorismo

Na RTP1 – 6/11/2006

As Notas Soltas de António Vitorino

[Vitorino sobre as eleições nos Estados Unidos] - É preciso dizer que, de alguma maneira, o presidente Bush, que se empenhou denodadamente nesta campanha, essa homenagem tem que se lhe prestar, ele não ficou nas encolhas, não fez cálculos eleitorais...

[Idem] - O governo Bush tem um trunfo na manga, que é a posição, relativamente ténue, dos democratas na luta anti-terrorista...


Judite de Sousa - a semana passada saiu uma sondagem em que George Bush é apontado como o homem mais perigoso do mundo, a seguir a Ossama Bin Laden.

Vitorino - Isso revela apenas que o presidente Bush é uma personalidade que polariza apoios, e polariza também grande oposição...


[Vitorino sobre a má imagem dos Estados Unidos] – É uma imagem que corresponde a uma ambiguidade enorme da comunidade internacional...


Vídeo – 1:54m

RTP - Vitorino sobre as eleicoes nos EUA

Add to My Profile More Videos

15 comentários:

ReiArtur disse...

António Vitorino consegue sempre ter uma palavra amiga para um amigo de longa data...

Barão da Tróia II disse...

Já não consigo ver nem ouvir esse cavalheiros, chama-me nomes, mas não consigo, nem entendo que ainda haja almas caridosas com pachorra, para aturar, os Vitorinos, os Pachecos, os Marcelos e demais iluminados desta lusa praça. Boa semana.

MAR.AP disse...

coitadinho, deve ser Alzeimer...

Sofocleto disse...

Tomei a liberdade de trazer este comentário que o JC deixou na caixa de comentários do post anterior:

JC said...
CARO SOFOCLETO:

Pesem embora as tuas inegáveis competências jurídicas, não consta que faças parte de nenhum tribunal de apelo nos EUA. Claro que podes achar que houve “irregularidades”, a opinião é livre, outros acham que não e quem tinha competência para decidir, decidiu.
É o que fazem os tribunais...ditam sentenças sobre conflitos em que duas partes acham que têm razão.
A partir de agora, só pedindo a intervenção divina ou desatando à batatada.
Qanto aos ABM, dizeres que são uma “arma ofensiva”, é tão rigoroso como dizer que comprar um guarda-chuva faz chover.
Aliás, como irás verificar, a Europa ou desenvolve muito rapidamente um sistema ABM, ou terá de, mais uma vez, se acolher debaixo do guarda-chuva americano.


Caro Diplodocus

Ainda bem que vai aprofundar...verificará que o assunto é bem mais complexo do que as “evidências” que nos são servidas todos os dias pelo pensamento politicamente correcto. Talvez não se recorde, mas na década de 70, os mesmos aiatolas do catastrofismo climático, profetizavam uma nova idade do gelo se “nada se fizesse”.

Caro Biranta

Ainda bem que me acha piada... eu tb acho alguma piada ao facto de o meu caro amigo dizer que não vale a pena perder tempo a responder e depois escrever um lençol de sobressaltadas fúrias.
Se calhar a lógica é mesmo uma batata, quando se deixa cair na armadilha dos paradoxos.

Caro Rouxinol

Não custa nada ser relativista quando se está comodamente alapado numa cadeira, sob a protecção de um estado de direito. Podemos ser olímpicos e fazer de conta que é tudo igual.
Na parte que me toca, se algum dia tiver de ser julgado, prefiro ter à frente do tribunal um juíz decantado no sistema jurídico australiano, inglês, alemão, americano, etc do que um outro apurado no sistema chinês, indonésio, zimbabweano, ou do burkina faso.
E estou em crer que o meu amigo também...

Quanto aos tribunais internacionais, a adesão é voluntária, os Estados aderem se quiserem, goste você ou não goste. Se os EUA decidem não aderir, estão no seu direito e creio que você não tem nada com isso, a não ser que seja americana, mas nesse caso tem de eleger representantes que defendam aquilo que você quer.
Caso não saiba, nenhum Estado é obrigado a aderir ao que quer que seja..a Suiça só muito recentemente aderiu à ONU, por exemplo.
Quanto à troca de “patriotismo” por “humanidade”, não entendo a que se refere. Quando voto naqueles que me vão governar, voto nos que defendem os meus interesses e que gerem os meus impostos, não os que defendem os interesses dos outros com o meu dinheiro. Os outros fazem o mesmo e é assim que a coisa funciona.
O seu conceito de “humanidade” provavelmente não coincide com o meu. Porque razão acha que o seu é melhor e deve prevalecer?

Quanto às ADM do Iraque, recomendo-lhe a leitura das várias resoluções unânimes da ONU sobre a questão, nomeadamente da 1441 que intimava expressamente o Iraque a apresentá-las aos inspectores que a mesma resolução nomeou.
Pode tb seguir o próximo julgamento de Saddam Hussein sobre a o genocídio da população de uma cidade curda usando precisamente ADM.
Certamente que aprenderá mais do que com os episódios do Gato Fedorento que, contrariamente ao que imagina, não se destinam a ensinar, mas sim a divertir.
E estou em crer que se o Rouxinol estivesse em Halabjah, em 1988, divertir-se-ia de morte, porque os gases eram facto muito fedorentos.
Apesar de não existirem....

Sofocleto disse...

«Quanto aos ABM, dizeres que são uma “arma ofensiva”, é tão rigoroso como dizer que comprar um guarda-chuva faz chover.
Aliás, como irás verificar, a Europa ou desenvolve muito rapidamente um sistema ABM, ou terá de, mais uma vez, se acolher debaixo do guarda-chuva americano.»


Caro JC,

Os ABM funcionam como um escudo. Se dois contendores estão, frente a frente, apenas armados de lanças, receiam-se mutuamente e nenhum ataca. No entanto, se um deles possuir um escudo, sente-se protegido contra a lança do adversário e então ataca. O escudo funciona, nestes termos, como arma ofensiva.

O guarda-chuva americano é o mal de todos os males. É um imenso complexo militar-industrial privado que só lucra com a guerra e com a morte. Foi graças a ele que aconteceram mais de 90% dos conflitos no mundo depois da II Guerra Mundial. A «protecção» dada pelos americanos é semelhante à «protecção» oferecida pela Máfia. Os que se negassem a ser «protegidos» eram atacados pelos mafiosos!

contradicoes disse...

Sofocleto acaba no fundo através deste comentário por responder à questão que ele próprio tem colocado acerca do envolvimento da administração Bush nos conflitos internacionais. Os EUA possuem uma industria pesada de armamento e como tal torna-se necessário dar-lhe escoamento. Para isso basta que o poder político com o argumento do combate ao terrorismo que os próprios EUA institucionalizaram, ou da institucionalização da democracia em povos que não a entendem, se proponha a criar conflitos por forma a depois fornecer o armamento aos beligerantes.
E quanto maior for a instabilidade e os conflitos nas regiões, mais armamento os EUA vão fornecendo, como é o caso de Israel face ao conflito com os palestinianos.

xatoo disse...

caro Sofocleto
conheces este tal de Buiça?
http://liberalred.blogspot.com/
aqui temos a distinta honra de estarmos os dois referenciados (mais o Câo de Guarda) na secção de "Comédia"
eheheheh
o fulano parece ser um "expert" em judaismo (sionismo, digo eu),,,e,
pelos vistos, está incomodado
ehehhe

luikki disse...

ou a história de um ass licker....

inominável disse...

gosto desde blogue polemizador... o problema de alguns dos comentários que aqui aparecem é que os seus donos estão domesticados demais para saber levantar e participar na construção e desconstrução das polémicas... vêem por um buraquinho muito pequenino e depois não compreendem o alcance das coisas, trafulhices incluídas...

não digo que é fácil olhar para as coisas com outros olhos, com novos olhos, mas acho incrível que haja vozes, olhos e sinapses que nem tentem...

o que posso fazer? gosto deste blogue...

Biranta disse...

Há por aqui um tipo de conversa que, de facto, só serve para "adoemecer"... Não é bem. Faz parte da campanha de desinformação e destina-se a baralhar os incautos, os menos bem informados.

Há umas boas semanas aconteceu-me, aqui na NET, um episódio deveras caricato mas que ilustra bem o que estou a pretender dizer:

Há por aí um pateta, que é um pouco "Maria vai com as outras", que criou um blog e me convidou a participar. E eu, na minha boa-fé, participei. Acontece que há um outro "reles provocador" que, ardilosamente, percebendo que podia ter ascendência sobre o tal pateta, decidiu instigá-lo a me censurar, com um daqueles argumentos absurdos, de bradar aos céus, mas que pegam com "patetas".

Vai daí reagi e o tal pateta apagou o tal blog; e lá tive eu que ficar com mais um blog, ainda por cima com um nome que eu nunca escolheria, porque A MIM NINGUÉM ME CALA, nem há nenhum ardiloso que consiga me censurar, nem mesmo que seja através da patetice doutros. E nem eu admito que alguém apague os meus escritos... onde é que já chegámos?

Mas o pateta não aprendeu. Passado pouco tempoi estava a fazer o mesmo a outro "bloguer", novamente instigado pelo provocador. Por quê? porque o pateta "pensa" que o provocador é seu amigo, por isso deve atender a tudo o que o outro diz e o provocador se serve disso sem pudor nem dignidade.

O que é que eu estou a tentar dizer?

Que há "amigos" que só são nossos amigos para explorarem, demagogicamente, isso; e nos lixarem... ao menos socialmente, sobrepondo os seus propósitos pérfidos aos nossos esforços na luta por um mundo melhor e mais digno.

O único mérito da polémica é permitir-nos aprofundar e cimentar as nossas convicções e assim fortelecer a nossa luta. Mas quando se dá espaço demais a quem abusa dele, ficam-me dúvidas sobre o resultado do balanço entre vantagens e inconvenientes. Além disso, este tipo de gente "oportunista" usa estratagemas como colocar vários comentários seguidos, no mesmo sentido, para que os outros pensem que há muita gente a pensar assim... Ora isto é uma estratégia neo-nazi muito usado pelo Mundo e sobretudo em relação à conspiração do 11 de Setembro, às "justificações da guerra", etc.
É óbvio que não é inocente, mas premeditado...

tem dias em que venho aqui e o conteúdo da caixa de comentários me mete nojo, porque se vê bem a aplicação da estratégia que refiro.

A mim mete-me nojo. E qual é o efeito nos menos informados? Já pensaram nisso?

Espero que perceba, caro JC, que a resposta não é para si. Mas mesmo que fosse, garanto-lhe que uma parte dos seus comentários eu apagava, porque já é abuso demais e porque o seu objectivo é evidente

Além disso, se até estes espaços são assim conspurcados, a juntar à censura nos OCS, nunca mais lá chegamos, porque consentimos e colaboramos com o silenciamento das nossas próprias vozes.

Meu caro Sofocleto!
Num dos seus comentários acima fica-se com a impressão de que eu disse, alguma vez, que lhe achava piada...

E não perco mais tempo com o assunto porque não merece. É mesmo daquelas coisas que "quem tem ouvidos para ouvir que ouça"... com a certeza de que no meu blog não.

Quanto ao post é um daqueles exemplos em que "os artistas" falam, falam, falam, para se exibirem e nada dizerem de concreto... que é para amanhã poderem dizer que não disseram (que era outra a intenção) se lhes convier.

Bush perdeu as eleições. Aleluia!

Pena é que os americanos não tenham por onde escolher porque os democratras são outros canalhas iguais.
Pode ser que as pessoas pensem que eles são diferentes e os pressionem tanto que não lhes reste escolha... Há sempre uma esperança!

Por isso, no próximo programa, poderemos ver Vitorino a desancar no Bush e a louvar os Democratas. Afinal tanto faz, desde que bajule o dono!

Sofocleto disse...

caro Xatoo,
Já acrescentei o Buiça à minha lista, para mais facilmente lhe seguir os pensamentos e desancá-los.


Caro Luikki
Vitorino não é apenas um ass licker. Foi Comissário Europeu para a Justiça e Assuntos Internos de 1999 a 2004. Está «muito por dentro» do terrorismo.


Inominável,
Obrigado pelo elogio.


Biranta,
Tens toda a razão. Não há diferenças entre republicanos e democratas. Trabalham todos para o mesmo dono.

Anónimo disse...

Avise-se o Sr Vitorino, desta noticia

Secretário da Defesa norte-americano demitiu-se Donald Rumsfeld, arquitecto da guerra no Iraque, deverá ser substituído por antigo director da CIA O secretário da Defesa norte-americano, Donald Rumsfeld, apresentou a sua demissão, anunciaram hoje responsáveis do Partido Republicano. Rumsfeld, arquitecto de uma guerra no Iraque cada vez mais impopular nos Estados Unidos e uma das causas da derrota dos republicanos nas eleições de terça-feira, deverá ser substituído pelo antigo director da CIA (agência dos serviços secretos) Robert Gates, adiantaram as mesmas fontes.

Biranta disse...

Oh Anonymous!

Eu folgo muito com a demissão de Rumsfeld mas... do que ouvi da conversa do substituto, "venha o diabo e escolha"

Anónimo disse...

Judite....Antiamericana....?

Manuel disse...

Nunca me agradou a face iluminada e sebastianista do Sr. Vitorino, ainda bem que ele rejeitou os convites que o PS lhe fez quando o queriam fazer secretário-geral...

Já viram o que seria termos um Primeiro desta categoria?

Não que o Sócrates seja muito diferente, mas ao menos sabe ficar calado de vez em quando, já o nosso amigo Vitorino fala tanto que deixa cair a máscara...

Gostei do blog, adicionei-o à minha lista.

Até breve.