sábado, fevereiro 12, 2005

O pequeno Martunis

Martunis, a criança que foi encontrada envergando a camisola da selecção nacional de futebol, após dezanove dias sózinha entre destroços numa praia da Indonésia na sequência do Tsunami, vai ser alvo de uma campanha de solidariedade promovida pela Federação Portuguesa de Futebol. Parece que a idéia partiu do Presidente Gilberto Madaíl e foi logo acolhida com fervor pelo seleccionador brasileiro Luís Filipe Scolari. "Tínhamos de tomar imediatamente uma posição", sublinhou Scolari, "a camisola da selecção é a nossa bandeira e o que aconteceu mostra, mais uma vez, que Deus é grande, Deus existe". Fala-se em comprar um terreno e construir uma casa na Indonésia, jogo para angariação de fundos, quotização e venda de camisolas. Também se pretende trazer a criança, logo que já não esteja "magro, desidratado e mal nutrido, com o corpo coberto de picadas de mosquitos", para assistir a jogos de futebol da selecção nacional servindo como atracção de feira.O pequeno Martunis pode dar-se por feliz por existir tanta gente boa no mundo e por ter estado sob protecção das cores de Portugal. Desde o enorme coração de Madaíl que em boa hora trouxe "Felipão" para o nosso país, passando por este mesmo Scolari, que adoptou a nacionalidade portuguesa por apenas vinte e cinco mil contos por mês, até este piedoso povo que se emociona facilmente cada vez que o seleccionador nacional de futebol lhe pede.E se distribuíssemos milhões de camisolas de clubes e selecções nacionais de futebol por todos esses Martunis que vagueiam por esse mundo fora "magros, desidratados e mal nutridos?” Não ficariam todos debaixo da protecção divina? Talvez pudéssemos começar pela terra do Sr. Scolari, que nem precisa de nenhum Tsunami... . Corre, corre Martunis! Não te deixes alcançar pela gigantesca onda da hipocrisia!